Consórcio de pesquisa da UCPel mapeia microárea da UBS Osório

Unir esforços para diagnosticar a situação de saúde da população que acessa a Unidade Básica de Saúde Osório (UBS) é o desafio de sete estudantes de cursos da saúde da Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Através de consórcio de pesquisa orientado pela professora Janaina Motta, uma – das quatro áreas que compõem a Unidade – contará até o final do ano com o mapeamento do perfil sócio-demográfico e de saúde.
A partir dos dados, o trabalho oferecido pela equipe da UBS Osório passará a ter um norte, com as ações de atenção à saúde voltadas à prevenção e melhoria dos problemas apresentados pela comunidade do local. A Liga Multidisciplinar de Educação em Saúde (LiMEdeS/UCPel) também integra a iniciativa e ficará responsável pelo diagnóstico do ambiente.
De acordo com a professora Janaina, antes de começar a aplicação do questionário, o grupo passa por encontros de orientação. Duas oficinas já ocorreram para explicar a metodologia, definir a logística do estudo e construção do questionário. “Após aprovação da pesquisa no Hospital Universitário São Francisco de Paula e no Comitê de Ética da UCPel, a coleta começa”, comenta a docente.
Um dos diferenciais do trabalho em consórcio é o compartilhamento de uma mesma amostra, em que as perguntas básicas são usadas por todos, variando apenas o desfecho (perguntas específicas). “A amostra é a mesma, mas cada um tem o seu objetivo dentro do projeto”, explica. 
A docente ainda ressalta que o consórcio diminui o índice de rejeição por parte do paciente, que não precisa responder vários questionários, reduz custos e o tempo dispensado. Outro ponto positivo é o desenvolvimento do trabalho em conjunto. “Eu aprendi a trabalhar dentro desse sistema. Como passei a orientar trabalhos em mais cursos da área da saúde, surgiu a oportunidade de realizar o consórcio”, relata. 
Um dos pontos positivos destacados pelo acadêmico do curso de Farmácia, Eduardo Peglow, é a multidisciplinaridade. “Realizamos o trabalho em equipe, em que cada participante agrega com informações da sua vivência acadêmica”, comenta. Através do consórcio, Peglow irá obter informações sobre a polimedicação, sua prevalência e fatores associados. “O uso concomitante de vários medicamentos pode trazer diversos riscos à saúde. Então, como futuro farmacêutico, vejo a importância de levar informações e desenvolver ações sobre o uso racional de medicamentos”, explica.
A acadêmica da Enfermagem, Lucimara Munhoz, ficará responsável pela história reprodutiva de mulheres da microárea; o acadêmico da Psicologia, Pedro Pires, sobre o consumo abusivo de álcool. Do curso de Farmácia, Ana Flávia Coquejo abordará a insegurança alimentar; Fernanda Bergmann, o acesso ao serviço de saúde; Taila Ehlert, uso de psicofarmácos e Elizangela Pinz, obtenção dos medicamentos prescritos. 
A professora Janaína complementa que além dos acadêmicos, a doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Comportamento (PPGSC), Paulinia Amaral, e a mestranda do PPGSC, Isabela Petry, ajudam a fase de construção do projeto, bem como auxiliarão na coleta de dados.
Até o final do mês de novembro, o diagnóstico da microárea estará finalizado. Os resultados serão apresentados para integrantes da UBS Osório, com a intenção de auxiliar nas ações a serem desenvolvidas dentro da Unidade. Nos próximo semestres, as demais microáreas que compõem a UBS também serão trabalhadas.  
Redação: Rita Wicth – MTB 14101

foto da notícia

Deixe uma resposta